Procon de Barra Velha alerta sobre golpe do motoboy

A tática não é nova: uma pessoa recebe uma ligação do banco, dizendo que seu cartão foi clonado e que vão enviar um motoboy para recolher e bloquear. “A pessoa entrega o cartão e pronto: caiu no famoso golpe do motoboy, explica a fiscal do procon, Luana Rocha.

O golpista liga se passando por um funcionário do banco ou da administradora de cartões, muitas vezes informando os dados verdadeiros do cliente para passar credibilidade, e afirma que o cartão foi clonado ou que há compras suspeitas, sendo necessário o cancelamento do cartão. Para efetuar o cancelamento, orienta o cliente a digitar alguns dados no telefone, entre eles a senha do cartão, e para concluir o cancelamento, orienta o cliente a cortar o cartão ao meio que um motoboy irá buscar o cartão na residência do cliente ou em outro local para segurança da operação.

Com os dados do cliente, a senha e o chip em mãos, os golpistas fazem diversas compras no cartão, gerando prejuízos de milhares de reais.

Como se prevenir

​Caso você desconfie de alguma ligação vinda do banco, desligue o telefone e retorne para a Central de Atendimento do seu cartão, ligando de outro número de telefone ou preferencialmente 5 minutos após a ligação suspeita. (os golpistas grampeiam o telefone do cliente por até 2 minutos após a finalização do contato, mesmo o cliente ligando para o número informado no cartão ou no site do banco é o fraudador quem “atende” a ligação do cliente).

As instituições nunca recolhem cartões bancários, mesmo que inutilizados.

Pedir que o cliente digite ou informe​ senhas também não é uma prática do banco.

Caso precise jogar fora um cartão, destrua-o completamente, cortando seu chip ao meio, e nunca o entregue a ninguém.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui